O jogo dos (meta)dados

Houve uma discussão sobre a burocracia da Web Semântica num post anterior. Precisamos rolar os dados… Devem haver métodos FÁCEIS (user-friendly), xuxu beleza, dinâmicos, sociais, etc (ao quadrado) para representar conhecimento (dados e metadados) de forma organizada e processável. Não precisa ser tão burocrático!

Só assim a Web pode ser semântica numa escala tão grande como ela agora ou ela daqui a 1 ano, 1 segundo. Mas para garantir semântica precisamos de algumas estruturas (e ontologia é apenas uma delas, porém, a mais completa, formal e bem estudada) para organizar a bagunça.

Duas formas de fazer isso que levam muito em consideração o que a Web 2.0 trouxe, sem precisar editar OWL e saber Lógica de Descrição: folksonomias e Wikis Semânticos. Folksonomias já foram explicadas. Wikis Semânticos são ambientes de edição Wiki onde atributos como relações entre páginas, suas categorias e hierarquias podem ser descritas “in a Wiki way”, facinho como editar um artigo da Wikipédia. Uma grande feature de um Wiki Semântico são os links tipados. É só colocar um rótulo no link, é só dizer o que este link significa. Soa fácil né? Pois é! Veja aí a figura. É do artigo sobre a extensão semântica do MediaWiki (software que a Wikipédia usa debaixo dos panos).

Links tipados no SemanticMediaWiki

Links tipados no SemanticMediaWiki

Um usuário comum e saltitante quer tarefas fáceis, produzir ontologias não é uma delas. Eles querem fazer como os times do Renato Gaúcho, BRINCAR! Assim, o conhecimento deles precisa ser capturado com interfaces analfabetas como caixinhas de texto para tags. Até mesmo tipar links pode ser impeditivo. E agora? Vamos precisar dos “engenheiros de conhecimento” da época dos sistemas especialistas e da “I.A. de papai” pra produzir todas as ontologias? I don’t think so.

Com estruturas de semântica fraca como folksonomias temos dados capturados de qualquer tipo de usuário. Podemos então usar técnicas de estatística, processamento de linguagem natural e análise de redes sociais para a inferência de conhecimento mais formal, que pode servir tanto pra melhorar a propria folksonomia ou para agregar serviços ao site que faz uso do sistema de social tagging. Podemos fazer com que isso convirja para uma ontologia!

Além disso, metadados servem para fazer anotação semântica, ou seja, informação numa página que é processada por agentes com conhecimento de ontologias. Por exemplo, usar metadados dublin core para especificar autor, título e outros dados pessoais numa página, de maneira formalizada, é um começo.

Á-RRAI! I-HI! Web Semântica vale UM MILHÃO!

Á-RRAI! I-HI! Web Semântica vale UM MILHÃO!

Finalmente… vamos usar estruturas com semântica formal bem definida como ontologias ou estruturas de semântica leve e depois extrair essas informações? Eis a pergunta que vale 1 milhão de reais, e talvez não precisemos tanto da ajuda dos universitários, MÁ ÔI!

2 Responses to “O jogo dos (meta)dados”


  1. 1 Guilherme... quinta-feira, 6-novembro-2008 às 6:38 pm

    Meeeeeestre \o/

    Só uma dúvida. Para mim está bem claro que não precisar editar/criar/* ontologias vai tornar a vida mais fácil, mas não ficou claro o pq de ter que utilizar Wiki Semânticos para evitar esse burocracia. Assim, pelo o que eu entendi com Wiki Semânticos você estaria reutilizando ontologias prontas (É isso mesmo?). A dúvida é o pq de ter que ser um Wiki Semântico para evitar o trabalho pesado. Como você falou no outro post, no futuro existirão ferramentas amigáveis e etc, e é bem provável que existirão (se é q não existe) ferramentas que permitem a reutilização de ontologias para a criação de uma página Web qualquer. Sei lá, um belo dia no futuro, Mário estará desenvolvendo uma página Web, digamos Pet Shop Corporation, e possivelmente terá um plugin lá no Eclipse onde ele vai poder acessar uma ontologia (ou conjunto) que define várias coisas relacionadas a Pet Shop. Ele só vai reutilizar. Esse cenário é possível para você? Mais uma vez, por que teria que ser um Wiki Semântico?

    Mário, no outro post, o comentário sobre Common Sense Design foi uma piada =)

    \o

  2. 2 Ícaro Medeiros sexta-feira, 7-novembro-2008 às 4:25 pm

    Não Guilherme, os Wikis Semânticos serviriam como uma ferramente de autoria para ontologia, pois editando uma página Wiki sobre um conceito e adicionando um link tipado a ela vc está definindo relação entre dois conceitos.

    Numa Wiki sobre Londres você poderia dizer [[part-of][England]] e depois colocar atributos como [area:10000km^2] e assim vai criando uma ontologia.

    Essa questão de reusar ontologias é um caminho interessante que deverá ser seguido no futuro sim.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




posts mais populares

posts por mês

assine esse blog

minhas tuitadas

favoritos@del.icio.us

eu uso





Powered by FeedBurner

estatística

  • 16,027 acessos
novembro 2008
S T Q Q S S D
« out   dez »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

%d blogueiros gostam disto: